Compliance na logística: tudo o que você precisa saber

Pessoas analisam tópicos de compliance na logística

Trabalhar segundo a legislação e garantir que os processos sejam realizados seguindo regras, diretrizes e preceitos éticos torna as empresas muito mais respeitadas e competitivas. Assim como em qualquer segmento, o compliance em logística evita prejuízos e aumenta a credibilidade e a confiança dos clientes.

A questão é: você sabe como implementar um programa de compliance em sua empresa? Sabe como gerar valor com boas práticas de compliance? Percebe como a tecnologia ajuda no cumprimento de políticas internas e externas?

O compliance é considerado um elemento fundamental para quem busca diferenciação frente à concorrência, mais produtividade, credibilidade e imagem positiva no mercado. Se você ainda tem dúvidas sobre as vantagens do compliance em logística, aproveite o conteúdo que preparamos.

Neste artigo, você saberá tudo o que precisa sobre o assunto. Boa leitura!

O que é compliance?

Compliance significa cumprir, obedecer e respeitar regras, normas e leis. O termo, derivado do verbo inglês to comply, representa o esforço e as ações da empresa para corrigir falhas na gestão de processos, atuar de forma íntegra e atender às legislações vigentes e pertinentes à atividade, evitando sanções decorrentes de inconformidades legais.

Ao estabelecer o compliance nos processos, a empresa demonstra que faz transações éticas, confiáveis, seguras e recrimina práticas de corrupção. Ou seja, atua segundo as regras externas (legais e de mercado) e mantém normas internas com sistemas de controle.

Quando e onde surgiu?

O compliance surgiu nos anos 1970, com a criação do Banco Central dos Estados Unidos (FED). O objetivo principal foi estabelecer um ambiente financeiro seguro e estável após a descoberta de esquemas de corrupção entre governos e empresas norte-americanas.

Criada a Lei Anticorrupção Transnacional, as penas para organizações dos EUA envolvidas em atos de corrupção no exterior foram endurecidas. Para melhorar a imagem e ajudar na entrada das companhias norte-americanas em mercados internacionais, surgiu o compliance.

No Brasil, a motivação foi semelhante e a prática se fortaleceu na década de 1990, quando o mercado nacional se abriu a empresas estrangeiras. A alta competitividade entre empresas transnacionais e os casos de corrupção levaram à definição de padrões éticos para a condução dos negócios, aumentando a transparência, a integridade e a segurança nas negociações.

Compliance na logística: por que investir em boas práticas?

Se compliance está diretamente ligado à conformidade e à legalidade dos negócios, o compliance em logística se refere às boas práticas nas relações entre embarcadores, transportadores, seguradoras, corretoras e demais envolvidos nas operações de produção, armazenagem e distribuição de mercadorias.

O setor logístico está sujeito a uma série de leis, decretos e normas que precisam ser cumpridos. Para isso, é fundamental que os processos internos e externos sejam transparentes e corretos, sem margem para práticas ilícitas, sob o risco de prejuízos financeiros e à reputação dos envolvidos.

Com bons processos, uso de tecnologia e profissionais dedicados aos programas de compliance em logística fica mais fácil “agir corretamente” e monitorar atividades e condutas.

Funções do compliance em logística

Adotar boas práticas de compliance, com uma política clara, ajuda em diferentes aspectos. Confira:

  • Identificação de riscos e definição de procedimentos em caso de condutas inadequadas ou ilícitas;
  • Criação de mecanismos de controle para prevenção de riscos;
  • Checagem e monitoramento das atividades e da eficiência do programa de compliance;
  • Capacidade de resolver denúncias, complicações ou sanções ocasionadas pela má conduta em negociações e processos;
  • Atualização permanente e controle de regras, legislações e práticas anticorrupções;
  • Redução de falhas e menores riscos na condução das atividades, minimizando possibilidades de prejuízos financeiros, atrasos ou falhas nos processos, comprometimento da imagem e da reputação ou perda de clientes e de competitividade.
  • Criação de processos constantes de orientação de todos os stakeholders envolvidos nas etapas logísticas, ressaltando a necessidade e a importância do cumprimento de normas, leis e exigências internas e externas.

Vantagens do compliance

A complexidade das operações logísticas requer uma série de cuidados com questões burocráticas e legais. Deixar de cumprir alguma exigência pode causar sérios danos à empresa. Cada vez mais, a sociedade exige uma postura idônea das companhias.

Ao adotar um programa de compliance em logística, as empresas passam a contar com benefícios como:

  • Identificação precoce de problemas ou de falhas no cumprimento às leis e normas.
  • Adoção de medidas corretivas e revisão sistemática de práticas e processos, prevenindo problemas e evitando dores de cabeça.
  • Preparo e agilidade para tomar providências em caso de desvios de conduta.
  • Monitoramento sistemático, mas transparência, confiabilidade e ambiente de trabalho seguro, ágil e eficiente.
  • Melhoria na forma como a empresa lida com dados sensíveis e burocracias.
  • Aperfeiçoamento nos métodos de gerenciamento de dados.
  • Maior segurança jurídica.
  • Geração de valor, com aumento da reputação e melhoria da imagem da marca.
  • Boas práticas na captação de recursos, produção, recebimento e escoamento de mercadorias.
  • Soluções mais efetivas para a coleta e manipulação de dados, permitindo análises rápidas, assertivas e seguras.
  • Mais segurança na contratação de profissionais envolvidos nos processos logísticos e maior confiabilidade na hora de entregar a carga a motoristas.
  • Aumento da segurança dos colaboradores quanto ao cumprimento das legislações trabalhistas.
  • Mais tranquilidade na condução dos negócios, garantia de idoneidade e ganhos em credibilidade.
  • Aumento da eficiência, já que os processos são conduzidos organizadamente e monitorada.
  • Maior conscientização, comprometimento e engajamento dos times.
  • Redução de falhas, prejuízos e custos, já que há maior padronização e automatização das atividades e mais eficiência e produtividade.
  • Ampliação da vantagem competitiva e mais confiança do mercado.

Leia também: ESG no setor logístico: o que é e quais as vantagens para as empresas de transporte.

Como implementar um programa de Compliance na logística

Tendo como premissas a conduta ética, o combate à corrupção e o cumprimento às leis, não é difícil manter um programa de compliance em logística. As medidas envolvem:

  • Mapear as particularidades e os riscos da atividade.
  • Melhorar o nível de informação sobre os processos logísticos da empresa e identificar oportunidades de melhoria.
  • Envolver colaboradores, parceiros e prestadores de serviço e monitorar o cumprimento às regras e diretrizes do programa de compliance.
  • Criar estratégias para identificação e acompanhamento das normas e manter um código de conduta interno atualizado e reconhecido por todos.
  • Automatizar e monitorar todos os processos logísticos, incluindo negociações e fechamento de contratos.

Tecnologia, uma aliada da gestão

Os gestores precisam estar totalmente comprometidos com o programa de compliance de empresa e, para tornar os processos e controles mais eficazes, a tecnologia se torna uma grande aliada.

Empresas que buscam mais eficiência logística e querem inovar, aprimorando seus processos, podem contar com as soluções da BRK Tecnologia. Especialista em sistemas de gestão logística, gerenciamento de riscos e prevenção de sinistros, a empresa oferece recursos para a automatização e o acompanhamento logísticos.

Quer saber como a BRK pode ajudar sua empresa na hora de automatizar, agilizar, melhorar e monitorar os processos operacionais e gerenciais, facilitando a implementação de programas de compliance?

Fale com um dos especialistas e confira o que a BRK tem a oferecer ao seu negócio.