Boas práticas no gerenciamento de risco para gestores

Equipe desenvolvendo o gerenciamento de risco para gestores

As boas práticas no gerenciamento de risco para gestores envolvem condutas fundamentais para mitigar acidentes e roubos em estradas e rodovias.

Veja algumas informações sobre gerenciamento de risco e como devem ser aplicadas as boas práticas pelos gestores.

O que é e como funciona o gerenciamento de risco?

Basicamente, o gerenciamento de risco corresponde a um conjunto de ações, técnicas, ferramentas e práticas que garantem o planejamento, a organização e a realização de atividades que diminuam riscos de roubos e acidentes.

Existem algumas formas de colocar isso, na prática. No geral, para realizar as ações que reduzem riscos, é preciso passar por:

  • identificação dos riscos;
  • priorização dos riscos;
  • análise dos riscos;
  • planejamento para mitigação dos riscos;
  • monitoramento e controle dos riscos.

Razões para implementar o gerenciamento de risco

Há algumas razões muito significativas que levam cada vez mais empresas a investirem no gerenciamento de risco.

No caso do transporte de cargas, esse planejamento reflete em medidas excelentes para evitar problemas que possam trazer perigos e prejuízos (financeiros ou de outra natureza), por meio de planejamento logístico, boas práticas, monitoramento de cargas e segurança dos condutores.

A partir de um bom gerenciamento de risco, é possível:

  • mitigar erros básicos que ocorram em todas as etapas do transporte de cargas;
  • conter falhas na documentação fiscal;
  • combater gastos desnecessários;
  • prevenir roubos de carga e acidentes.

Principais riscos no transporte de cargas

Alguns dos principais riscos no transporte rodoviário de cargas são:

  •  acidentes;
  • roubos de cargas;
  • atrasos no prazo;
  • entrega de carga com danos causados por imperícia no transporte;
  • estradas em mau estado de conservação;
  • fraudes;
  • imperícia dos colaboradores;
  • pistas sem acostamento, etc.

Boas práticas no gerenciamento de risco: como tirar do papel

É possível colocar em prática por meio de planejamento e ferramentas. Acompanhe a seguir!

Planejamento

A etapa de planejamento é o primeiro passo para o gerenciamento de risco, na prática. Nesse momento, cabe aos gestores coletarem informações, estatísticas e dados de trabalhos anteriores e montar uma estrutura que envolva boas práticas para o setor de transporte. Isso envolve variáveis como:

  • análise de rotas mais visadas por quadrilhas;
  • condição das estradas e programação das rotas a serem utilizadas;
  • condição dos veículos;
  • informações advindas de experiências anteriores;
  • informações sobre os colaboradores responsáveis pelo transporte de cargas;
  • metas e objetivos do processo.

A partir desse estudo, torna-se mais fácil identificar riscos, a probabilidade de que aconteçam e o que pode ser feito para mitigá-los.

Ferramentas logísticas

A partir do planejamento, é possível passar para as próximas ações, que envolvem a utilização de ferramentas logísticas para o gerenciamento de risco no transporte de cargas.

Graças a essas ferramentas, hoje, é possível atenuar os riscos antecipando quais são as boas práticas que devem ser adotadas. Dessa forma, o intuito é elaborar estratégias para diminuir perigos ou contorná-los eficazmente.

As ferramentas da BRK Tecnologia

A BRK é uma empresa que ajuda seus clientes no processo de gerenciamento de risco. No caso, os gestores podem utilizar as seguintes ferramentas:

  • Gerenciamento de Risco: ele foi idealizado para promover o gerenciamento de risco de cargas em transporte rodoviário, envolvendo o monitoramento e acompanhamento 24 horas por dia, em tempo real, integrado a outras tecnologias, como inteligência aplicada ao sistema e atuação de centrais de monitoramento.
  • Gestão Logística: essa ferramenta auxilia empresas no gerenciamento de risco a partir de planejamento logístico, promovendo a otimização dos recursos e visibilidade das possibilidades envolvendo a cadeia de suprimentos, tudo isso por meio de torres de controle em tempo real.
  • Prevenção de Acidentes: por sua vez, ela foi idealizada para monitorar o comportamento dos condutores, realizando a análise de dados que envolvem velocidade e tempo de transporte, orientando as boas práticas de condução.

Entre em contato conosco para saber mais!