Gestão de transporte na logística: reduzindo riscos e prejuízos na movimentação de cargas

Imagem de destaque

Fazer a gestão de transporte na logística no Brasil não é tarefa fácil. Há uma série de desafios que precisam ser vencidos quando o assunto é reduzir os sinistros, driblar a falta de infraestrutura e de investimentos nas rodovias, aumentar a produtividade, evitar prejuízos e satisfazer os clientes com entregas no prazo.

No país, o modal rodoviário é responsável por aproximadamente 60% da movimentação das cargas. Pelas estradas brasileiras circulam mais de 2,1 milhões de caminhões, segundo Relatório da Frota Circulante 2022 divulgado pelo Sindicado Nacional da Indústria de Componentes para Veículos Automotores (Sindipeças) em conjunto com a Associação Brasileira da Indústria de Autopeças (Abipeças).

Para fazer a gestão de transporte com assertividade e aperfeiçoar o processo logístico, embarcadores e transportadores precisam adotar boas práticas de melhoria contínua. Contar com tecnologia é uma boa estratégia para quem quer garantir competitividade, seja qual for o porte da operação.

É sobre isso que vamos falar neste artigo. Se você busca alta performance nas operações logísticas, saiba como melhorar a gestão de transporte e faça boas viagens.

O que é e qual a importância da gestão de transporte?

A gestão de transporte é uma atividade logística que viabiliza a movimentação de cargas com mais assertividade, eficiência e qualidade, garantindo que insumos, materiais e mercadorias sejam entregues à indústria, varejo e consumidores.

Na cadeia logística, o transporte de cargas tem um papel fundamental. A boa gestão de transporte tem reflexos diretos na produção industrial, no agronegócio, no varejo e em tantos outros segmentos que movimentam a economia nacional.

Para que tudo chegue ao destino em segurança, em boas condições e no prazo estipulado, os investimentos na gestão de transporte são cada vez mais importantes.

Com a gestão do transporte, embarcadores e transportadores melhoram seus resultados com base no gerenciamento dos riscos, roteirização, controle de documentos e custos, acompanhamento de entregas, manutenção da frota etc.

Fazer o monitoramento das viagens e dos indicadores logísticos, analisando dados da operação em tempo real, é uma das atividades da gestão do transporte, responsável também por melhorar processos, aumentar a segurança operacional, reduzir custos e elevar a produtividade, a satisfação dos clientes e a lucratividade.

Vantagens da gestão de transporte na logística

A gestão de transporte eficiente traz uma série de benefícios para embarcadores e transportadores. Além da redução de custos e de sinistros, as vantagens incluem:

  • Controle das despesas com a manutenção e reparos dos veículos;
  • Gestão de custos da viagem, mão de obra e frota;
  • Menor índice de erros operacionais, retrabalho e desperdício;
  • Mais qualidade no serviço prestado;
  • Maior produtividade, segurança e competitividade;
  • Acesso a dados e indicadores;
  • Agilidade na tomada de decisões;
  • Gerenciamento assertivo dos riscos;
  • Execução do planejamento estratégico e ciclos de melhoria contínua.

Desafios para a gestão de transporte

Dos mais de 1,7 milhão de quilômetros de estradas brasileiras, apenas 28,2% estão em boas condições. Os trechos de rodovia pavimentada não passam de 13%, segundo levantamento da Confederação Nacional de Transporte.

Não bastasse a precariedade das estradas, o Brasil é um dos recordistas em acidentes de trânsito e perde bilhões em prejuízos com o roubo de cargas. Esses e outros desafios exigem um empenho cada vez maior da gestão de transporte.

Confira alguns dos principais gaps enfrentados por embarcadores e transportadores:

Roubo de cargas

Em 2021, a ocorrência de roubo de cargas cresceu 1,7% no Brasil em relação ao ano anterior. Foram 14,4 mil casos, totalizando um prejuízo de R$ 1,27 bilhão. De acordo com levantamento da Associação Nacional de Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística), o Sudeste lidera o ranking com 82% das ocorrências.

Acidentes nas rodovias

O risco de acidentes de trânsito é uma preocupação constante do setor de transporte.  Em 2021, o setor registrou aumento no índice de acidentes e mortes. Só nas rodovias federais foram 64.452 ocorrências com 5.391 mortes. O prejuízo supera R$ 12 bilhões, segundo levantamento da CNT.

Distância geográfica

O Brasil tem dimensões continentais, exigindo longas viagens em condições nem sempre favoráveis. Trechos interditados, mal sinalizados, sem pontos de parada seguros para descanso, estradas sinuosas e serras, descumprimento à Lei do Motorista e restrições de tráfego são problemas que podem atrapalhar o ritmo das viagens.

Burocracia excessiva e altos custos

Os custos logísticos correspondem a mais de 10% do Produto Interno Bruno (PIB) e, além de combustíveis e pneus que pesam no orçamento das transportadoras, a alta carga tributária, o tempo dedicado às burocracias envolvidas no transporte de cargas, as despesas com multas e pedágios, por exemplo.

Atraso nas entregas

Clientes têm pressa e consideram a agilidade nas entregas uma condição essencial. A questão é que uma série de fatores pode interferir na eficiência do serviço de transporte rodoviário. O cronograma de entregas precisa ser gerenciado com rigor, mas nem todas as transportadoras consideram os diferenciais que o uso das tecnologias de gestão de transporte, roteirização, rastreamento e monitoramento em tempo real têm a oferecer.

11 dicas para melhorar a gestão de transporte

Os problemas existem e, para empresas experientes, não chegam a ser exatamente uma surpresa. Isso não significa que eles não possam ser vencidos. Melhorar a gestão de transporte e a performance das operações é possível. Algumas dicas podem ajudar:

  • Tenha metas e objetivos claros para a empresa, compartilhando esse planejamento com os profissionais e definindo as responsabilidades;
  • Mantenha o planejamento sempre atualizado e crie métricas para acompanhar e avaliar o desempenho das operações;
  • Reconheça os pontos fortes e fracos da empresa e invista em melhoria contínua para elevar o padrão das entregas e tornar as viagens mais seguras;
  • Conheça o mercado, ouça o cliente e entenda as reais necessidades de embarcadores, operadores logísticos e consumidores finais, oferecendo soluções customizadas conforme as especificidades da carga;
  • Modernize a frota e mantenha bons planos de manutenção;
  • Invista na seleção e contratação de motoristas, parceiros e fornecedores para o serviço de movimentação das cargas;
  • Capacite os profissionais e adote programas de prevenção de acidentes;
  • Automatize as atividades e integre sistemas com o objetivo de agilizar processos e aprimorar a gestão do transporte;
  • Mantenha controle rigoroso sobre o orçamento, gerenciando os custos e buscando alternativas para reduzir os prejuízos;
  • Faça o gerenciamento e a prevenção de riscos, atuando de forma imediata em caso de sinistros: um bom PGR evita erros na documentação, na escolha do veículo e do motorista, reduz os gastos com manutenção e melhora a roteirização e a assertividade das entregas;
  • Aposte em soluções tecnológicas para reduzir os gaps, agilizar os processos e serviços, aumentar a visibilidade operacional, sanar pontos fracos da operação, reduzir a margem de erros, mitigar os riscos e manter métodos mais modernos de controle e aperfeiçoamento dos resultados.

Garanta a competitividade na gestão de transporte na logística

Atualmente, é impensável fazer a gestão de transporte sem o auxílio de tecnologia. Há uma série de soluções que auxiliam embarcadores e transportadores na solução dos gaps.

A BRK Tecnologia é especialista nisso e oferece um portfólio de ferramentas digitais de gerenciamento de riscos e gestão logística.

Se você quer saber como essas ferramentas podem fazer a diferença na gestão de transporte e todas as funcionalidades dessas soluções, fale com um especialista e peça os detalhes.