Falhas na gestão logística de transporte: veja 10 dicas para melhorar a operação

Caminhões preparados para evitar falhas na gestão logística de transporte

Alta lucratividade, baixa sinistralidade, entregas no prazo, redução de custos, tarefas automatizadas e clientes satisfeitos. Tudo isso é possível para empresas que investem na gestão logística de transporte.

A questão é: como vencer os desafios diários e melhorar a performance operacional?

A resposta não é tão difícil.

A jornada de excelência passa pela prevenção de sinistros, maior controle e automatização dos processos que envolvem a movimentação de cargas, visibilidade das operações em tempo real, monitoramento e gerenciamento dos riscos, treinamento da equipe e uso de soluções integradas para otimizar os resultados.

Com tantas atividades complexas a serem gerenciadas no transporte de cargas, é possível que falhas ocorram, mas uma gestão logística consciente dos problemas e focada em estratégias para aperfeiçoar os serviços é capaz de transformar o negócio.

Se você quer melhorar suas entregas, reduzir riscos e prejuízos e se diferenciar da concorrência, confira neste artigo como corrigir as principais falhas na gestão logística de transporte.

Falhas na gestão logística de transporte

O transporte de cargas é uma das etapas mais estratégicas da cadeia de suprimentos e, também, uma das mais desafiadoras. Os investimentos na gestão logística de transporte ajudam a corrigir e evitar uma série de falhas, como:

Atrasos nas entregas

Os atrasos demonstram a incapacidade e a ineficiência das empresas na gestão dos prazos. O mercado busca cada vez mais agilidade e eficiência, mas muitas transportadoras não conseguem garantir que a carga chegue ao destino no prazo combinado.

Uma boa gestão de logística de transporte é capaz de implementar planos de ação para reduzir esse tipo de falha e seus impactos sobre os lucros e a reputação da empresa.

Planejamento ineficiente

Não é possível fazer uma boa gestão logística de transporte sem planejamento estratégico. Muitas transportadoras não conseguem melhorar seus serviços e entregar cargas no prazo e sem avarias porque não fazem um bom planejamento estratégico.

Para que os negócios prosperem, é fundamental que as empresas tenham metas claras e saibam quais os recursos que necessitam para chegar lá.

Equipes despreparadas na gestão logística de transporte

Não basta fazer um bom planejamento se os profissionais envolvidos não tiverem clareza sobre o papel que devem desempenhar e, principalmente, se não estiverem capacitados para a atividade.

É um equívoco ignorar o fato de que o transporte de cargas requer times treinados para as operações logísticas e, principalmente, motoristas habilidosos e experientes.

Muitos caminhões têm, inclusive, novas tecnologias que acabam subutilizadas porque os motoristas não são capacitados para explorar todas as inovações oferecidas. Os índices de acidentes também são preocupantes e, em 90% dos casos, a causa é a falha humana.

Pouca visibilidade operacional e deficiências na comunicação

Para ter viagens seguras e entregas no prazo, com a qualidade exigida pelo mercado, as empresas devem investir em recursos que ofereçam visibilidade operacional em tempo real e ferramentas de comunicação instantânea com caminhoneiros, clientes e outros envolvidos no processo logístico.

Com informação acessível, é mais fácil identificar pontos falhos e corrigi-los ainda durante o percurso, informando os clientes sobre eventuais atrasos e reagendando as entregas, por exemplo. As falhas na comunicação não só aumentam a insatisfação dos clientes como também dificultam a gestão logística de transporte.

Negligenciar a manutenção preventiva da frota

Manter planos de manutenção preventiva não apenas reduz custos como aumenta a segurança nas operações logísticas. Um caminhão que quebra durante a viagem atrasa a entrega, pode comprometer a qualidade da carga, provocar acidentes e causar prejuízos.

Além da manutenção preventiva, fazer o checklist antes de autorizar a viagem é outro detalhe importante, que reduz a chance de ocorrências ao longo do trajeto.

Não controlar os custos

Os custos logísticos são muito elevados no Brasil e correspondem a mais de 12% do PIB. O combustível e os pneus estão entre os principais custos das transportadoras. Ainda que não seja fácil, controlar as despesas viabiliza o negócio e facilita a gestão logística de transporte.

Ignorar a importância da roteirização

Nem todo trajeto mais curto é o mais eficiente. As transportadoras que falham na roteirização elevam os riscos, já que essa ferramenta é capaz de otimizar as viagens selecionando os percursos mais seguros, mais rápidos, com rodovias em melhor estado, menos pedágios e infraestrutura adequada nos pontos de parada, abastecimento e pernoite.

Conhecer bem as condições das estradas e os trechos mais vulneráveis a acidentes e roubo de cargas torna as operações de transporte muito mais inteligentes.

Manter processos manuais

A movimentação de cargas envolve muita burocracia, documentações e obrigações fiscais e tributárias. Tentar gerenciar tudo isso manualmente, sem sistemas integrados de gestão logística de transporte é, sem dúvida, uma dor de cabeça.

Além disso, permitir que o motorista viaje sem os documentos e autorizações obrigatórios coloca a operação em risco, com possibilidades de apreensão do caminhão e da carga. Para evitar esse risco e reduzir os erros e o retrabalho, a automatização dos processos se faz necessária.

Não investir no rastreamento das cargas e monitoramento das entregas

Deixar que um caminhão circule sem que a transportadora saiba exatamente onde ele está é um risco que as empresas não deveriam correr. Isso porque a frota é o principal ativo da empresa e, além disso, há fortunas em carga sob sua responsabilidade.

O rastreamento e o monitoramento não apenas gerenciam viagens e comprovam que as entregas foram feitas, como facilitam a tomada de decisão imediata em ocorrências suspeitas, desvios de conduta do motorista, acidentes e roubos.

Dicas para melhora a gestão logística de transporte

Evidentemente, todas as falhas cometidas pelas empresas da cadeia de suprimentos – em especial do setor de transportes – podem ser corrigidas. Confira 10 dicas para tornar sua operação mais eficiente, ágil e rentável.

  • Conheça as fragilidades da operação, defina planos de melhoria, estabeleça metas e passe a monitorar os indicadores de desempenho (KPIs).
  • Faça o planejamento financeiro e o controle rigoroso das despesas.
  • Elabore estratégias de redução de custos sem prejuízo à qualidade do serviço.
  • Invista no gerenciamento de riscos, serviços de inteligência e pronta-resposta.
  • Mantenha programas de capacitação, treinamento e prevenção de acidentes.
  • Automatize as atividades operacionais e integre os sistemas para facilitar a rotina de todas as áreas e envolvidos no processo de transporte.
  • Modernize as ferramentas de comunicação com os clientes, escute o feedback e se antecipe às demandas e tendências do mercado.
  • Mantenha planos de manutenção preventiva para reduzir os custos com a frota.
  • Invista em softwares de gestão logística e monitoramento para ampliar a visibilidade da operação em tempo real.
  • Use tecnologia a seu favor. É impossível, atualmente, ser eficiente ou fazer a gestão logística de transporte de forma analógica. Se você parar no tempo, não terá muitas perspectivas de futuro no setor logístico.

Como a BRK Tecnologia pode ajuda com a gestão logística de transporte

A BRK é especialista em tecnologias e soluções para a gestão logística de transporte e oferece ferramentas que otimizam e integram as demandas.

Os sistemas garantem mais segurança, agilidade, comunicação e ampla visão das operações de movimentação de carga, fornecendo subsídios para a tomada assertiva de decisões, reduzindo as falhas e, consequentemente, os prejuízos.

Conheça:

Quer saber como essas soluções podem auxiliar sua empresa na gestão logística de transporte, eliminando falhas e melhorando a performance das operações, fale com um especialista.