Medidas preventivas para evitar riscos em período de campanha eleitoral

Imagem de destaque

Os riscos para as cargas voltaram a crescer no Brasil, principalmente na época de campanha eleitoral.

Após quedas consecutivas desde 2017, o ano de 2021 foi marcado por um aumento de 1,7% nas ocorrências.

A insegurança nas estradas e o crescimento nas taxas de criminalidade se tornaram um problema crônico no país e, como tal, entram em discussão em todo ano eleitoral.

Aliado às questões econômicas, como inflação e aumento do diesel, o roubo de cargas interfere no custo do frete e no preço das mercadorias e, por isso, deve entrar na pauta de debates das Eleições 2022.

Uma pesquisa da Confederação Nacional dos Transportes mostra que mais de 60% das empresas entrevistadas já foram vítimas do crime organizado. Além da abordagem das quadrilhas aos caminhões em viagem, fraudadores também se passam por caminhoneiros para obter acesso às operações de transporte.

Para evitar que sua empresa faça parte das estatísticas de roubo de cargas no Brasil, preparamos este artigo com dicas de segurança. Confira como melhorar suas operações logísticas e entenda como a tecnologia pode ser uma forte aliada no combate à criminalidade.

Combate à criminalidade durante a campanha eleitoral

Considerado estratégico para a economia nacional, o transporte rodoviário movimenta mais de 60% das mercadorias no país, portanto, requer que o poder público reforce as estratégias de segurança, prevenção aos roubos e combate à criminalidade.

A criminalidade e a violência superaram, inclusive, o tema corrupção na pré-campanha eleitoral deste ano. Segundo levantamento da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (DAPP FGV), entre 1º de janeiro e 18 de julho de 2022, os temas de segurança, violência e criminalidade tiveram aumento superior a 50% no volume de menções em redes sociais.

Ao total, foram mais de 14 milhões de menções, não unicamente sobre o roubo de cargas, mas em um contexto amplo que envolve a segurança pública. Além disso, a participação do setor logístico também é cada vez mais acentuada em debates políticos a respeito de questões como mobilidade, trânsito nas grandes cidades, preço dos combustíveis e equilíbrio da atividade de transporte de cargas.

Dicas para melhorar a segurança no transporte de cargas

As discussões sobre a insegurança nas estradas brasileiras não são suficientes para reduzir as ocorrências. É preciso investir em prevenção e em tecnologia para o rastreamento e recuperação das cargas, monitoramento das viagens, gerenciamento dos riscos, seleção e capacitação dos profissionais.

Para tornar as operações de movimentação de cargas mais seguras e eficientes em períodos de campanha eleitoral, adote algumas estratégias:

  • Invista na seleção dos profissionais contratados para atuar no transporte das cargas. Antes de contratar, conheça seu histórico, peça recomendações e utilize o Cadastro para buscar motoristas ideais de maneira ágil e eficiente.
  • Mantenha bons planos de gerenciamento de risco elaborados por GRs experientes. Oriente os motoristas a acionarem a polícia e a Central de Monitoramento em casos suspeitos, além, é claro, de seguir rigorosamente outras diretrizes do PGR.
  • Invista em programas de prevenção de sinistros e realize capacitações constantes. É fundamental que os caminhoneiros sejam orientados e estejam preparados para identificar riscos ou para saber como proceder em caso de sinistro.
  • Faça o monitoramento 24 horas com sistemas que ofereçam dados sobre o andamento da viagem em tempo real. Isso facilita não apenas a comunicação, mas também a tomada rápida de decisões.
  • Invista na roteirização das viagens. Nem sempre o trajeto mais curto é o melhor. A aposta deve ser no trecho e nos horários mais seguros. A maioria dos casos de roubo de cargas ocorre com o caminhão parado em locais para descanso e pernoite.
  • Faça o checklist completo antes de liberar o caminhão para viagem, incluindo a verificação de todos os equipamentos de segurança como travas, sensores e alarmes.
  • Dependendo do valor da carga, avalie a possibilidade de contratação de uma empresa de escolta para acompanhar a frota.
  • Oriente os caminhoneiros a nunca dar carona ou parar em locais desconhecidos. É fundamental também manter a atenção em caso de atitudes suspeitas de outros veículos durante a viagem.
  • Sempre que possível, organize viagens em comboio para reduzir as chances de uma abordagem criminosa. Veículos que trafegam sozinhos são mais vulneráveis a ação das quadrilhas. Dê preferência também às viagens diurnas.
  • Contrate seguros, mesmo aqueles que não são obrigatórios para o transporte de carga. Isso dá mais tranquilidade e segurança às operações.
  • Reduza a previsibilidade das operações variando as rotas e horários. As quadrilhas costumam estudar o modus operandi das transportadoras para planejar as ações.
  • Redobre as estratégias de segurança nas operações de embarque, desembarque e tempo da carga em repouso — sem negligenciar, evidentemente, a Lei do Motorista e as regras de repouso e intervalo das jornadas.
  • Invista em tecnologia para automatizar e integrar os sistemas de gerenciamento de risco, melhorando a performance da frota e a segurança das viagens.
  • Conte com a expertise de especialistas em gestão logística e gerenciamento de risco para reduzir a sinistralidade no transporte rodoviário de cargas.

Leia também: Por que proteger as cargas e como a tecnologia ajuda na segurança do transporte rodoviário.

Como a BRK ajuda no gerenciamento de riscos?

A BRK é especialista na segurança das operações de transporte, oferecendo ao mercado o Gerenciamento de Risco. A solução conta com:

  • Central 24 horas por dia, sete dias por semana, com profissionais especializados;
  • Análise de perfil com retorno em até 60 minutos;
  • Elaboração do Plano de Gerenciamento de Riscos;
  • Planejamento de rotas e locais seguros de parada;
  • Acionamento de pronta-resposta em caso de sinistro;
  • Inteligência embarcada e reações automáticas;
  • Projetos customizados para cada tipo de operação;
  • Fluxo de processos e identificação de pontos críticos da operação;
  • Integração com sistemas de gestão de embarcadores e transportadores;
  • Banco de dados com informações para a análise de perfil dos profissionais, com identificação do motorista mais adequado para cada tipo de operação;
  • Monitoramento por meio de base dedicada ou compartilhada.

Se você precisa de soluções como essa para aprimorar a segurança da sua operação logística, fale com um especialista e peça uma demonstração.

Conheça ainda outros sistemas, como a Prevenção de Acidentes e a Gestão Logística.