Mercado segurador no transporte: entenda a diferença entre corretora e seguradora

Imagem de destaque

Um país com dimensão continental e que utiliza, majoritariamente, o modal rodoviário para escoar sua produção deve redobrar os cuidados e a segurança nas estradas. O mercado segurador tem papel determinante para as empresas de transporte rodoviário de cargas. Sem ele, muitos negócios ficariam inviabilizados.

Para driblar problemas logísticos como os acidentes nas estradas e o roubo de cargas, o seguro é essencial.

Os prejuízos causados pelos sinistros são vultuosos e a exigência dos clientes por entregas cada vez mais ágeis requer que embarcadores e transportadores invistam em bons planos de gerenciamento de risco e assertividade na escolha do seguro.

Reduzir os prejuízos é uma importante condição para a competitividade dos negócios.

Nessa missão, o mercado segurador tem papel decisivo. Para potencializar os resultados, contar com bons corretores e seguradoras faz toda a diferença.

Neste artigo, falaremos justamente sobre esses dois agentes do mercado segurador e como eles podem ajudar na segurança das operações.

Leia mais a seguir!

Cenário atual de roubos e acidentes no país de acordo com o mercado segurador no transporte

Em 2021, o Brasil registrou aumento no número de acidentes e roubos nas rodovias.

Foram mais de 64,4 mil acidentes de trânsito nas estradas federais, conforme o Painel de Consultas Dinâmicas dos Acidentes Rodoviários elaborado pela Confederação Nacional de Transportes (CNT), o prejuízo ultrapassa R$ 12 bilhões.

As colisões lideram o ranking, com 60% dos casos. Na sequência estão as saídas de pista, com 15,6% das ocorrências. Os capotamentos/tombamentos representam 12% dos casos. Na última década, a cada ano foram mais de 15 mil acidentes com vítimas que envolveram pelo menos um caminhão.

O roubo de cargas também aumentou para 14,4 mil ocorrências em 2021, chegando a R$ 1,27 bilhão em prejuízos ao setor de transporte de cargas. O Sudeste lidera o ranking, com 82% das ocorrências.

Um levantamento da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan) indica a ocorrência de 12 roubos de carga por dia em 2021 no Rio de Janeiro, totalizando uma perda direta de R$ 389 milhões.

Importância do seguro para o mercado segurador no transporte rodoviário de cargas

Com tantos desafios a serem superados pelo setor de transporte rodoviário de cargas, entender a importância do seguro é o primeiro passo. Não é de se estranhar que as empresas brasileiras apostem suas fichas no mercado segurador para garantir a eficiência dos serviços de entrega.

O objetivo principal de um seguro é elevar o nível de confiança e eficiência das operações e garantir a alta performance na movimentação de cargas, com prejuízos minimizados.

O seguro cobre os riscos possíveis durante o transporte, como danos às mercadorias causados por acidentes, furtos e roubos.

Dessa forma, o mercado segurador serve como um suporte para os produtos chegarem ao destino, evitando dores de cabeça e reduzindo os prejuízos.

Seja qual for o caso, o seguro de carga e de transportes mantém o negócio protegido do embarque à entrega.

Diferença entre corretoras e seguradoras do mercado segurador no transporte

O mercado segurador tem dois agentes importantes — corretoras e seguradoras. Entenda o papel de cada um deles.

Corretoras

As corretoras são empresas autorizadas a comercializar seguros de diferentes seguradoras, sem assumir a responsabilidade pelo pagamento das indenizações. São os corretores – profissionais habilitados a intermediar a negociação entre as empresas e as seguradoras — que ajudam a escolher as melhores propostas e representam os clientes perante a seguradora.

As corretoras fazem um atendimento consultivo e especializado, visando obter a máxima proteção aos riscos e o menor custo possível.

São elas as responsáveis por pesquisar melhores ofertas, intermediar a contratação e realizar alterações na apólice, considerando a necessidade de inclusão ou exclusão de coberturas.

Em termos contratuais, o corretor de seguros é o representante legal do segurado e, como interlocutor, agiliza a comunicação entre empresas e seguradoras em casos de sinistro, tornando mais rápido o pagamento da indenização.

Atribuições da corretora:

  • pesquisar e negociar serviços com diferentes seguradoras;
  • orientar a empresa contratante sobre suas obrigações e direitos;
  • cuidar da burocracia inerente à contratação do seguro;
  • dar apoio especializado nas questões legais de contratação ou renovação do seguro;
  • oferecer apoio em caso de sinistros, acionando o seguro contratado.

Seguradoras

As seguradoras administram os contratos de seguro e fazem o pagamento de indenizações em caso de sinistro, consoante as coberturas previstas na apólice. É sua função fazer os cálculos a serem pagos pelo cliente, de modo a garantir reserva suficiente para a cobertura dos custos.

Aliadas na gestão de riscos, as seguradoras ficam responsáveis pelo pagamento das indenizações.

Atribuições da seguradora:

  • oferecer o serviço de seguro no transporte de bens ou mercadorias;
  • assumir os riscos das operações de transporte conforme as cláusulas estabelecidas em contrato;
  • fazer o pagamento das indenizações ao segurado, em caso de sinistros previstos na apólice;
  • emitir a apólice de seguro.

Leia também: Por que proteger as cargas e como a tecnologia ajuda na segurança do transporte rodoviário.

Segurança no transporte de cargas

Assim como as corretoras e seguradoras, as gerenciadoras de risco têm papel importante no aumento da eficiência nas operações de transporte. Contar com especialistas no assunto e com tecnologia para aprimorar a movimentação de cargas será sempre uma boa ideia.

A BRK tem soluções agregam segurança para embarcadores e transportadores.

Fale com um especialista e conheça o Gerenciamento de Risco, a solução integrada para o monitoramento dos transportes. Com acompanhamento em tempo real, suas viagens serão muito mais seguras.