Painéis solares: reduzindo prejuízos com equipamentos no setor fotovoltaico

Separação de painéis solares para o transporte de cargas

Em crescimento acelerado na última década, o setor solar fotovoltaico brasileiro, com os painéis solares, bateu recordes em 2021.

O problema é que, na mesma medida que alavanca os negócios e atrai investidores, a indústria de energia — e, evidentemente, o setor logístico e de transportes — vem sofrendo com a ação de criminosos.

O índice de roubo de equipamentos, peças e painéis solares preocupa embarcadores, transportadores e seguradoras. O aumento da sinistralidade nesse tipo de operação é um problema que precisa de medidas de prevenção urgentes e uso de tecnologias para aprimorar a segurança das operações.

O aquecimento do mercado, a redução ou isenção de alíquotas no setor energético, a falta de equipamentos em algumas regiões do país e a abertura de venda para o varejo deram margem para a ação das quadrilhas e a venda no mercado paralelo.

Para evitar prejuízos e perda das cargas, o melhor é reforçar as estratégias de segurança, priorizar o gerenciamento dos riscos e apostar em tecnologia não apenas para o Cadastro, que permite a redução dos sinistros e transtornos operacionais e gera mais fluidez nas operações logísticas, mas também para o rastreamento e monitoramento das viagens em tempo real.

Neste artigo, entenderemos o atual panorama do setor solar fotovoltaico no Brasil e como a tecnologia ajuda a melhorar a performance e a reduzir os riscos no transporte deste tipo de cargas. Aproveite a leitura!

Setor em ascensão

O setor de energia solar no Brasil atraiu quase R$ 22 bilhões em investimentos em 2021 — um crescimento de 49% em relação aos investimentos acumulados até o final de 2020 —, criou mais de 150 mil novos empregos e aumentou consideravelmente a capacidade nacional de geração de energia elétrica limpa e renovável.

Levantamento da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar) mostra que, desde 2012, o setor movimentou mais de R$ 66,3 bilhões em negócios, gerou mais de 390 mil postos de trabalho e viu, em 2021, as contratações crescerem 65% em relação ao acumulado até o final de 2020.

Atualmente, o Brasil tem 13 gigawatts de potência operacional de fonte solar, quase a mesma potência instalada na usina hidrelétrica de Itaipu, a maior do país. Além das usinas existentes, mais de 80 estão em construção e existem cerca de 640 projetos não iniciados.

Estimativas da Agência Internacional de Energia (IEA) indicam crescimento do setor na ordem 30% em 2022 no mundo. O Brasil já faz parte do grupo dos 20 países líderes em capacidade de energia solar e a perspectiva é que o setor receba mais R$ 50,8 bilhões em investimentos.

Segurança no transporte de equipamentos e painéis solares

O gerenciamento de riscos é essencial para a melhoria da segurança, prevenção de sinistros e redução de prejuízos no transporte de cargas.

A questão é que muitas apólices de seguro consideram este tipo de carga como “mercadoria geral ou mercadoria não específica”, o que isenta a obrigatoriedade de implementação do GR.

Mesmo assim, é fundamental redobrar os cuidados.

Leia aqui: Drones na logística: tecnologia contribui para o aumento da performance nas operações de transporte de cargas.

7 dicas para o transporte de painéis solares

  • Planeje o gerenciamento de risco para viagens com cargas de alto valor.
  • Rastreie as cargas e monitore as viagens em tempo real, com tecnologia que garanta a visibilidade operacional e permita a tomada imediata de decisões.
  • Conte com o Cadastro para pesquisa e consulta na busca pelo profissional ideal.
  • Escolha os serviços de gerenciadoras credenciadas.
  • Invista na roteirização para ser mais assertivo na escolha dos trajetos, pontos de parada para abastecimento, descanso ou pernoite e evite viagens noturnas. Dê preferência ao trânsito das cargas entre as 5h e 20h.
  • No caso de embarques emergenciais, adote soluções complementares de segurança, como iscas e escoltas.
  • Contrate serviços de pronta resposta e inteligência para mitigar os riscos no transporte de cargas, reduzir a previsibilidade da operação e auxiliar na recuperação das cargas, em caso de roubos.

Solução integrada

Para quem busca uma solução integrada para o gerenciamento de riscos e o monitoramento dos transportes, a BRK oferece o Gerenciamento de Risco. O sistema faz o acompanhamento das viagens em tempo real e alia tecnologias de rastreamento a serviços de inteligência e atuações das Centrais de Monitoramento.

O Sistema Integrado de Gerenciamento de Riscos em Transporte tem uma série de funcionalidades:

  • Configuração de normas e parâmetros personalizados por cliente, perfil da operação e tipo de carga.
  • Controle das posições da frota feito pela Central de Monitoramento;
  • Integração com as principais empresas de tecnologia de rastreamento;
  • Integração com o Sistema de Gerenciamento Inteligente de Alerta;
  • Monitoramento das viagens e visualização dos veículos no mapa;
  • Acesso a relatórios gerenciais.

Fale agora com um especialista e aprimore a segurança nas suas operações de transporte. Conheça também as outras soluções desenvolvidas pela BRK.