Paralisação dos caminhoneiros e riscos para a segurança nas operações de transporte

Imagem de destaque

Fazer o gerenciamento de risco no transporte rodoviário de cargas exige o manejo de situações complexas, principalmente com os riscos da paralisação dos caminhoneiros.

Algumas vezes, as circunstâncias fogem ao controle — como uma greve ou paralisação de caminhoneiros. Seja qual for a situação, a segurança nas operações de transporte deve ser prioridade.

O Brasil já viveu uma greve de caminhoneiros em maio de 2018, quando grande parte dos transportes rodoviários foi interrompida por dez dias. Além da crise de abastecimento e de R$ 15,9 bilhões em prejuízos, segundo o Ministério da Fazenda, o episódio deixou lições e reforçou a importância do gerenciamento de riscos no transporte de cargas no Brasil.

Seja como for, serviços essenciais precisam ser mantidos e para garantir que insumos hospitalares, farmacêuticos, alimentos e combustíveis não faltem, há que se ter uma estratégia para manter as operações de forma segura às cargas e aos motoristas que precisam realizar as viagens.

Neste artigo, vamos mostrar como um planejamento logístico preventivo é eficaz para mitigar os riscos e prejuízos em situações de crise e listar dicas e orientações para transportadores neste período de paralisações nas estradas.

Estratégias para minimizar riscos e prejuízos

Para dar conta dos desafios em meio à paralisação de caminhoneiros no Brasil, a melhor alternativa é ter um plano de gerenciamento de riscos focado na prevenção.

Em situações adversas como manifestações e bloqueios nas estradas, a estratégia de enfrentamento mais assertiva passa pelo suporte de gerenciadoras de risco experientes, planos de contingência, se necessário, e ações específicas para minimizar os impactos e eventuais prejuízos às operações.

A orientação é que as empresas do setor de transporte mantenham um planejamento logístico preventivo, com olhar atento às rotas, prazos de entrega e atenção às estimativas sobre o local onde os veículos estarão durante as manifestações.

Com serviços como o Gestão Logística, da BRK Tecnologia, é possível fazer o acompanhamento logístico e o monitoramento das frotas e das coletas e entregas, acessando informações como datas, horários e duração das viagens.

O trajeto também pode ser acompanhado em tempo real e os principais dados são registrados de forma automatizada, o que permite a tomada de decisões mais rapidamente.

O que fazer durante a paralisação dos caminhoneiros

  • Esteja atualizado sobre a situação das estradas e os rumos da paralisação;
  • Mantenha contato permanente com seus motoristas;
  • Motoristas em serviço devem comunicar a Central de Monitoramento sobre protestos ou bloqueios na rodovia;
  • Analise as melhores estratégias e, se possível, evite as regiões onde estão concentradas as manifestações;
  • Oriente seus motoristas a seguirem rigorosamente as diretrizes do plano de gerenciamento de riscos, que leva em consideração as melhores rotas e alternativas mais seguras;
  • Minimize os riscos e não exponha seus colaboradores ou sua carga desnecessariamente;
  • As Centrais de Monitoramento estarão alertas sobre os locais com interdição. Caminhões impedidos de seguir viagem devem buscar pontos de parada seguros, postos com infraestrutura e as portas dos baús devem permanecer travadas;
  • Se possível, reprograme as entregas;
  • Aprimore a comunicação com a gerenciadora de risco para avaliar medidas emergenciais ou definir planos de contingência, se necessário.

Monitoramento em tempo real

A BRK faz o gerenciamento de riscos, monitoramento do transporte de cargas e acompanhamento logístico das viagens integrando modernas tecnologias de rastreamento, inteligência aplicada e Centros de Monitoramento que seguem as parametrizações dos planos de gerenciamento de riscos estabelecidas para cada tipo de operação e circunstância.

Desta forma, é possível acompanhar todas as viagens em tempo real, controlando as posições dos veículos e obtendo visibilidade operacional para a tomada de decisões em qualquer eventualidade ou sinistro.

Assim como na greve de caminhoneiros de 2018, a BRK Tecnologia está atenta aos desdobramentos do movimento deste ano para minimizar os impactos nas operações de seus clientes, aumentar a segurança e reduzir prejuízos.