Principais riscos no transporte de cargas: saiba como evitá-los

Imagem de destaque

Os custos logísticos consomem cerca de 12% do PIB brasileiro e a etapa de transportes é a mais onerosa e vulnerável, que afeta nos riscos no transporte de cargas.

Assim, a movimentação de cargas está sujeita a uma série de riscos e, por isso, requer medidas efetivas para reduzir a sinistralidade.

Nesse sentido, os acidentes e os roubos de carga causam prejuízos bilionários e obrigam o setor de transportes a elaborar um plano de gerenciamento de riscos focado nas especificidades de cada operação.

Por isso, para ser eficiente, esse planejamento precisa estar apoiado no investimento em novas tecnologias e em soluções integradas.

Neste artigo, falaremos sobre os principais riscos no transporte rodoviário de cargas e, principalmente, como reduzir a sinistralidade e melhorar a performance operacional, a produtividade, a lucratividade e a competitividade. Embarque nessa!

Quais são os maiores riscos no transporte de cargas?

O transporte rodoviário de cargas é altamente vulnerável no Brasil. Isso porque há uma soma de fatores que contribui para um cenário cheio de desafios e que obriga o setor logístico a buscar, diariamente, novas estratégias para o gerenciamento dos riscos.

Na lista dos principais desafios estão:

1.    Roubo de cargas

A ação das quadrilhas especializadas em roubo ou desvio de cargas representa uma parcela significativa dos prejuízos logísticos. Sobretudo, em 2021 foram mais de 14.400 ocorrências, o equivalente a R$ 1,27 bilhão em valores de carga levados por criminosos.

2.    Extravios e avarias

As falhas na acomodação dos produtos no caminhão, o uso de embalagens inadequadas, a falta de cuidado com as características da mercadoria — como peso, resistência e temperatura ou os erros na entrega não só causam danos à carga como também comprometem a imagem e a credibilidade dos transportadores.

3.    Falta de manutenção da frota

A negligência com a manutenção do caminhão pode colocar em risco a segurança das operações e elevar os prejuízos. Sendo assim, um veículo quebrado no meio da viagem atrasa a entrega, aumenta a chance de avarias à carga, eleva o risco de roubo e acidentes, além de comprometer todo o planejamento logístico.

4.    Estradas com pouca qualidade e má infraestrutura

No Brasil, menos de 20% das rodovias federais são pavimentadas e muitas estão em péssimo estado de conservação.

A sinalização ineficiente, estradas sem acostamento e a falta de manutenção no pavimento aumentam os riscos durante as viagens e comprometem a eficiência das entregas.

A maioria das rodovias brasileira ainda é em pista simples e a ineficiente infraestrutura e segurança para abastecimento, descanso ou pernoite são outros agravantes.

5.    Apreensões e multas

O transporte de cargas deve respeitar leis específicas e manter documentos atualizados. Deficiências na parte fiscal e burocrática deixam as operações sujeitas a apreensões e multas, gerando um custo elevado para as empresas.

6.    Falha humana e falta de treinamento

As principais causas de acidentes de trânsito são as falhas humanas. No transporte de cargas, a imperícia, a negligência e a imprudência do condutor elevam a sinistralidade e comprometem os resultados.

  •       Imperícia: falta de habilidade, de capacidade ou de treinamento para conduzir o caminhão. Uma carga muito pesada, por exemplo, pode levar ao tombamento se o motorista não souber como realizar a viagem seguramente.
  •   Imprudência: tem relação com o comportamento do motorista e o excesso de confiança. Profissionais que executam a atividade há muito tempo têm um falso senso de segurança e tendem a relaxar nos cuidados.
  •   Negligência: é caracterizada por um descuido ou falta de atenção, quando o motorista resolve atender o telefone celular enquanto dirige, por exemplo. Ou seja, desvia o foco da estrada para realizar uma atividade proibida. Isso aumenta a chance de multas e, em casos mais graves, de acidentes.

Leia aqui: Como reduzir as mortes por acidente de trabalho no transporte de cargas.

Como reduzir os riscos no transporte de cargas?

Reduzir os riscos no transporte de cargas passa pela adoção de estratégias de prevenção e investimentos em tecnologia. A gestão dos riscos reúne técnicas e medidas para identificar, avaliar e minimizar as perdas ou danos inerentes à movimentação das mercadorias.

Um bom Plano de Gerenciamento de Riscos (PGR) não só previne os problemas como melhora a qualidade e a eficácia dos processos logísticos, além de reduzir os índices de sinistralidade.

O PGR também proporciona as ferramentas necessárias para capacitar os profissionais envolvidos nas operações logísticas, monitorar as viagens, rastrear cargas e resolver os imprevistos o mais rapidamente possível.

Ou seja, o gerenciamento de riscos é a melhor opção para agregar mais segurança e valor à movimentação de cargas.

Com planejamento estratégico, investimento em tecnologia, capacitação, automatização de processos e monitoramento constante é perfeitamente possível elevar o padrão das entregas e a segurança das viagens.

Como melhorar a gestão de riscos no transporte de cargas?

  •       Faça um diagnóstico completo da operação e das principais vulnerabilidades. Ao analisar e reconhecer os gaps no transporte das cargas você se torna mais assertivo nas melhorias.
  •       Elabore um plano estratégico para lidar com todos os riscos.
  •       Utilize sistemas de roteirização para traçar os percursos e tornar as viagens mais otimizadas e seguras.
  •       Aposte no rastreamento das cargas e faça o monitoramento das viagens por meio de tecnologia que permita ampla visibilidade em tempo real.
  •       Faça a seleção criteriosa dos motoristas.
  •   Conte com gerenciadoras de risco experiente que tenham bom relacionamento no mercado segurador.
  •       Promova a capacitação e o treinamento das equipes. Motoristas bem-preparados e conscientes sobre a importância da direção defensiva e do cumprimento das leis de trânsito são fundamentais para a segurança das viagens.
  •       Mantenha planos de manutenção preventiva da frota.

Vantagens do gerenciamento de riscos

O gerenciamento de riscos pretende, principalmente, prevenir os sinistros, reduzir os prejuízos e oferecer recursos para a pronta-resposta em caso de roubos, furtos, acidentes e atrasos nas entregas.

Entre as vantagens estão:

  •       Otimização da operação de transporte rodoviário de cargas.
  •       Redução dos custos operacionais e aumento da segurança.
  •       Melhoria da competitividade.
  •       Ganhos na imagem e reputação da empresa e da marca.
  •       Alinhamento dos resultados com as estratégias da empresa.
  •       Agilidade na tomada de decisão para mitigar os riscos.
  •       Identificação e gerenciamento dos principais gaps da operação.

Prevenção de sinistros ligada aos riscos no transporte de cargas

A BRK atua diretamente na prevenção de sinistros e oferece os recursos necessários para a redução de prejuízos. Aliás, um exemplo é o sistema integrado de Gerenciamento de Riscos em transporte de cargas.

Ou seja, a solução gerencia e monitora os transportes em tempo real, conectando tecnologias de rastreamento a Centrais de Monitoramento, considerando as parametrizações do Plano de Gerenciamento de Risco.

Quer mitigar os riscos, melhorar o desempenho das viagens e fazer entregas perfeitas? Então, conheça o Gerenciamento de Risco e as outras soluções integradas para o transporte de cargas.

Consulte um especialista da BRK!