Riscos para as cargas no Rio de Janeiro: como aumentar a segurança no transporte

Imagem de destaque

A insegurança e a criminalidade nas estradas representam um dos maiores desafios do setor logístico no Brasil. A maioria dos casos envolvendo quadrilhas de roubo e desvio de mercadorias ocorre no Sudeste. Os riscos para cargas no Rio de Janeiro preocupam nesse contexto.

O roubo de cargas no Rio de Janeiro sempre preocupou empresas que trabalham com transporte, motoristas e as autoridades.

Ainda que tenha registrado queda de 9% em 2021, o número de ocorrências no Estado se manteve em patamares elevados: 12 casos de roubo de cargas por dia, em média. A investida das quadrilhas leva pânico aos motoristas e prejuízos a embarcadores e transportadores.

Para garantir viagens tranquilas e entregas no prazo, reduzindo o índice de sinistralidade nas operações de transporte, a melhor alternativa é apostar em tecnologia para o gerenciamento dos riscos.

Acompanhe a situação das estradas do estado do Rio de Janeiro e saiba como evitar o roubo de cargas e quais soluções ajudam a mitigar riscos, diminuindo a exposição às ações criminosas e aumentando a segurança nas operações de transporte.

Contexto do roubo de cargas no Rio de Janeiro

Em janeiro de 2021, foram registrados 363 roubos de cargas no Rio de Janeiro, representando uma queda de mais de 30% (em relação ao mesmo mês do ano passado). Na comparação entre dezembro de 2020 e janeiro de 2021, a queda foi de 21%.

O recuo dos registros de roubo de cargas aponta para a importância de ações voltadas ao gerenciamento de riscos, com softwares, monitoramento e tecnologias visando diminuir riscos e roubos de cargas no Rio de Janeiro.

Importante salientar que o número de roubos ainda é expressivo, o que torna necessário compreender as regiões mais perigosas do Rio de Janeiro e saber como realizar o gerenciamento de riscos.

Panorama do roubo de cargas no estado do Rio de Janeiro

Em 2021, o Rio de Janeiro registrou 4.521 roubos de carga, totalizando R$ 389 milhões em perdas diretas. Ainda que a queda tenha sido de 9% em relação a 2020, algumas regiões, como o Arco Metropolitano, tiveram aumento de 10% nas ocorrências.

O Panorama do Roubo de Cargas no Estado do Rio de Janeiro 2022, desenvolvido pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), mostra a necessidade de ações efetivas contra a criminalidade e de reforço na segurança, principalmente na Região Metropolitana, no entorno do Arco Metropolitano e nos entroncamentos com as BR-040 e BR-116. Essa região concentra 97% das ocorrências.

A Região Metropolitana do Rio de Janeiro compreende os municípios:

Rio de Janeiro Belford Roxo Cachoeiras de Macacu Duque de Caxias
Guapimirim Itaboraí Itaguaí Japeri
Magé Maricá Mesquita Nilópolis
Niterói Nova Iguaçu Paracambi Petrópolis
Queimados Rio Bonito São Gonçalo São João de Meriti
Seropédica Tanguá

Regiões mais perigosas para o transporte de cargas no Rio de Janeiro

Entre as regiões e estradas mais perigosas para o transporte de cargas no Rio de Janeiro, é possível citar:

  • Rodovia Presidente Dutra (região de Queimados até a Avenida Brasil);
  • Proximidades das comunidades do Chapadão e Pedreira;
  • Retorno da Rodovia Presidente Dutra (na Avenida Brasil);
  • Avenida Brasil, na intersecção entre a Rodovia Washington Luís com o Arco Metropolitano (Duque de Caxias).

Nesse sentido, contar com o trabalho de uma gerenciadora de risco se tornou indispensável para evitar riscos e roubos de cargas no Rio de Janeiro.

Rodovias mais perigosas do Rio de Janeiro

As regiões que concentraram metade das ocorrências de roubo de cargas no Rio de Janeiro, foram:

  • BR 493 – Arco Metropolitano (considerada um importante corredor logístico porque favorece a retirada de veículos de carga dos centros urbanos)
  • BR 040 – Rodovia Washington Luís
  • BR 101 – Avenida Brasil
  • BR 101 – Rodovia Niterói-Manilha
  • BR 116 – Rodovia Presidente Dutra
  • RJ 104 – Rodovia Amaral Peixoto

Melhores práticas para aumentar a segurança no transporte de cargas no Rio de Janeiro

As operações de transporte de carga estão suscetíveis à ação das quadrilhas especializadas em roubo de cargas. Para reduzir os índices de sinistralidade e o prejuízo, é fundamental investir em prevenção e tecnologia para o gerenciamento dos riscos e o monitoramento das viagens.

Confira algumas práticas para aumentar a segurança na movimentação das mercadorias:

  • Faça o mapeamento dos riscos envolvidos no processo logístico, identifique as vulnerabilidades e reduza a previsibilidade da operação.
  • Invista em sistemas de roteirização para fazer escolhas mais assertadas sobre o trajeto a ser realizado e os melhores pontos de parada para abastecimento, descanso e pernoite.
  • Mantenha planos de manutenção preventiva da frota, reduzindo a necessidade inesperada de interrupção da viagem por falhas mecânicas.
  • Capacite e prepare os motoristas — e outros profissionais envolvidos no transporte das cargas. É fundamental que os motoristas conheçam a legislação de trânsito, saibam identificar quaisquer problemas no caminhão e reconheçam os riscos e ações suspeitas de terceiros ao longo da viagem.
  • Tenha um bom plano de gerenciamento de riscos e adote o monitoramento da frota em tempo real, por meio de sistemas de rastreamento via satélite ou GPS, câmeras de segurança embarcadas, travamento de portas, envio de alerta à central de monitoramento.
  • ‍Padronize os procedimentos de segurança para reduzir os riscos e sinistros, evitar falhas e mitigar a possibilidade de prejuízos com acidentes e roubo de cargas, melhorando assim a eficiência e a qualidade das operações de transporte.
  • Contrate bons seguros para o veículo e para a carga. Essa medida de segurança protege a empresa de eventuais prejuízos, melhora a performance operacional e dá mais confiança aos clientes.

Cargas no Rio de Janeiro: como mitigar riscos de roubos?

Para mitigar riscos de roubos de cargas no Rio de Janeiro, é preciso trabalhar com soluções de uma gerenciadora de risco para controlar o deslocamento da frota.

O processo de organização da cadeia logística orienta o condutor do veículo, passando pelo monitoramento 24h e incorporação de tecnologias que tornem o processo mais inteligente.

No caso, a gerenciadora de risco BRK Tecnologia desenvolveu modelos de gestão compostos por equipes especializadas em gestão de riscos e operações logísticas.

Por meio de tecnologias, técnicas modernas e monitoramento feito diretamente de uma central, a BRK possibilita:

  • analisar o fluxo de informações;
  • analisar rotas;
  • desenvolver Programas de Gestão de Riscos (PGR);
  • detalhar a operação no embarcador e transportador;
  • treinar colaboradores e motoristas por meio de boas práticas.

Para isso, a BRK desenvolveu as seguintes soluções:

Gerenciamento de Risco

O Gerenciamento de Risco é uma solução idealizada para promover o gerenciar as cargas no Rio de Janeiro (e em todo o Brasil), e o monitoramento de transportes.

O software permite o acompanhamento 24h e em tempo real da frota por meio de tecnologias de rastreamento integradas a uma central de monitoramento, que atua pelos Planos de Gerenciamento de Risco (PGRs).

Gestão Logística

A Gestão Logística auxilia empresas que realizam o transporte de cargas a ter mais segurança na tomada de decisões e promover o aumento de ganhos a partir de melhorias e ajustes nos processos de toda a cadeia logística.

Assim, a Gestão Logística ajuda empresas a gerenciarem seus riscos logísticos adequadamente e mais eficaz pela otimização de recursos e identificação de possíveis vulnerabilidades.

Prevenção de Acidentes

A BRK Tecnologia sabe o quanto acidentes nas estradas são grandes vulnerabilidades no transporte rodoviário de cargas.

Para gerenciar melhor os possíveis riscos envolvendo acidentes e diminuir perdas, a Prevenção de Acidentes foi desenvolvida visando analisar o comportamento dos motoristas de forma contínua, o que inclui análise de dados, velocidade e tempo de condução.

Assim, é possível analisar o fluxo de informações, otimizar a cadeia logística e promover o monitoramento contínuo da carga, aprimorando a qualidade do serviço de transporte.

Fale com um especialista e reduza os índices de roubo de cargas no Rio de Janeiro.