Transporte rodoviário de cargas no Nordeste: como vencer os desafios

Imagem de destaque

Quem faz o transporte rodoviário de cargas no Nordeste conhece os gargalos que precisam ser resolvidos.

Por isso, conhecer os riscos de uma atividade é o primeiro passo para melhorar a sua performance operacional.

Aprimorar a gestão, reduzir os custos e aumentar a competitividade é plenamente possível.

O importante é que embarcadores e transportadores entendam as particularidades de cada região do país e contem com uma gerenciadoras de risco experiente, que tenha tecnologia, planejamento logístico e profissionais capacitados para vencer os desafios.

Se você quer saber mais sobre os principais gaps do setor de transporte e logística no Nordeste, para atuar assertivamente, confira este artigo.

Roubo de cargas para o Nordeste chama atenção no transporte

Quem trabalha com o transporte de cargas para o Nordeste deve prestar muita atenção à atuação de quadrilhas, que têm se empenhado e utilizado de diferentes abordagens para surpreender o caminhão.

Nas Rodovias BR-110 e BR-423, que ligam as cidades de Santana (Bahia) a Garanhuns (Pernambuco), foram registradas cinco tentativas de roubo apenas no mês de fevereiro de 2021. As quadrilhas conseguem interceptar caminhões mesmo que estejam em movimento.

Entre Feira de Santana (Bahia) e Aracaju (Sergipe), na BR-101, a maioria das ações acontece em veículos parados durante o pernoite. Além disso, constatamos que os carregamentos mais visados são os de combustíveis, medicamentos, carnes e cosméticos.

O último exemplo, a BR-116, que liga o estado da Bahia ao de Pernambuco, é o que mais preocupa as transportadoras, com inúmeras ocorrências ao longo dos anos.

Principais problemas do transporte rodoviário de cargas no Nordeste

Infraestrutura das estradas

Formada por nove estados, a região Nordeste tem mais de 1,5 milhão de km², o equivalente a 18,3% do território brasileiro.

Do total da malha rodoviária do país, cerca de 27% estão no Nordeste, desse percentual, menos de 20% são pavimentadas.

A má condição das estradas aumenta os riscos de acidentes, roubos e dificulta o acesso a regiões mais remotas, encarecendo o serviço.

Conforme o Plano CNT de Transporte e Logística, elaborado pela Confederação Nacional de Transportes, a carência de investimentos em infraestrutura de transporte no Nordeste já ultrapassava R$ 257 bilhões em 2018.

Roubo de cargas

Ainda que estejam em queda, as ocorrências de roubo de cargas no Brasil causam um prejuízo bilionário.

Em 2020, o total chegou a R$ 1,2 bilhão em mais de 18,3 mil casos, segundo o levantamento Roubo de Cargas no Brasil 2020, da Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística).

O Nordeste é o terceiro colocado no ranking de estados com mais registros de roubo de cargas.

A região soma 6,66%, o equivalente a R$ 127,22 milhões em prejuízos, atrás da região Sul, com 8,89% e da sudeste, com 81,33%. O centro-oeste e norte somam 3,12%.

Leia aqui: Como evitar o roubo de cargas e quais as mercadorias mais visadas.

Acidente nas rodovias

O custo dos acidentes nas estradas, considerando-se apenas as rodovias federais, foi de R$ 10,22 bilhões em 2020.

Só na região Norte o valor chegou a R$ 2,6 bilhões em 13.856 ocorrências com 11.198 vítimas (mortos e feridos) — a maioria homens (82,9%).

O Painel de Acidentes da CNT revela o tamanho do problema. Do total de acidentes no Nordeste, 17% envolvem caminhões.

A BR-101 é a líder no ranking, com 2.748 acidentes com vítimas em 2020. Em um ano, 310 vidas foram perdidas. A BR-116 é a segunda colocada, com 1.257 acidentes.

No Nordeste, o Estado campeão em acidentes em 2020 foi a Bahia: 3.443 ocorrências, com 2.828 vítimas (mortos e feridos). Pernambuco aparece em segundo, com 2.557 acidentes e 2.006 vítimas.

No Ceará foram 1.569 acidentes nas rodovias federais, com 1.292 vítimas.

Principais desafios no transporte de cargas na região Nordeste

Os três principais desafios no transporte de cargas na região Nordeste são:

  • má condição das vias: a má qualidade do asfalto, sinalização deficiente e a falta de segurança fazem com que o transporte de cargas para o Nordeste seja um grande desafio;
  • destinos de difícil acesso: alguns municípios do Nordeste são bastante remotos, com áreas de risco, ruas estreitas e estradas danificadas;
  • roubo de cargas: atenção é a palavra de lei para quem trabalha com o transporte rodoviário de cargas, isso porque o índice de roubos e de furtos é visivelmente alto, especialmente no Nordeste.

Cargas para o Nordeste: como superar os desafios e transportar com mais segurança

Para superar os desafios do envio de cargas para o Nordeste é preciso:

Planejar as rotas de transporte

O planejamento logístico das rotas é muito importante para viabilizar um transporte de cargas para o Nordeste mais seguro.

Por meio do planejamento, é possível contemplar rotas mais movimentadas, com boa manutenção do asfalto, paradas mais seguras e menos índices de roubos.

Além de planejar as rotas, é preciso assegurar que o colaborador respeitará o que foi definido pelos profissionais da logística ou da gerenciadora de risco.

Adotar medidas de segurança

As medidas de segurança também fazem parte do planejamento de logística e devem priorizar a integridade física do carregamento, assim como do veículo e do colaborador.

Por meio de medidas de segurança bem implementadas, é possível colocar em prática ações que tratem da prevenção de roubos, furtos e possíveis acidentes (incluindo incêndios e explosões), preservando a qualidade dos materiais e evitando danos causados pelas más condições das vias.

Investir no trabalho de gerenciadora de risco

A gerenciadora de risco, assim como outros segmentos de empresas especialistas, conta com equipe de profissionais no transporte de cargas para o Nordeste.

Para a logística, é de extrema importância contar com uma gerenciadora de riscos que planeje todas as etapas da cadeia, envolvendo desde a armazenagem, carregamento do veículo, transporte até monitoramento 24h.

Como aumentar a segurança do transporte rodoviário de cargas no Nordeste

Ainda que o cenário preocupe, é possível melhorar a performance nas operações de movimentação de cargas no Nordeste.

Apostar no gerenciamento de riscos, na roteirização, na prevenção de acidentes e em soluções para aumentar a visibilidade operacional e o acompanhamento logístico são as melhores estratégias.

A BRK Tecnologia entende de tudo isso e pode ajudar com serviços especializados.

Quer saber mais sobre como essas soluções podem aprimorar suas operações no Nordeste, fale com um especialista.

Se você gostou deste artigo, leia também: 12 vantagens da tecnologia no transporte rodoviário de cargas.